quinta-feira, 29 de setembro de 2011

SORRISO


''a natureza de um belo sorriso
é o poema mais divino
que já vi nesse mundo...''

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

NÃO QUERO TÍTULOS

''O ruim de escrever quando estou assim
é que tudo sai, de alguma forma mais doído que o real,
não por vontade própria, apenas sai.
e hoje, um dia desses
não sei onde, nem como, nem por quê
mais tudo está menos ou mais
e digo; completamente acentuado, claro.


o frio, está absurdamente gelado
os pés, decididamente grudados ao chão
o cansaço, exageradamente pesado
e a saudade de qualquer coisa, qualquer gente
está infinitamente em mim, de todas as maneiras...''

sábado, 24 de setembro de 2011

LEITOR QUERIDO

'aos leitores'
que se metem a tentar entender
o que diabos se passa com esta;

- SOU MAIOR DE IDADE E TENHO FAMÍLIA
só pro seu governo'
então se supunha, ser como outra qualquer
digo ao pé da letra, logo entenda:

-SOU EU MESMA, DE CORPO, ALMA E ARTÉRIA AORTA

só não tente me entender, 
leitor querido (jeitinho machadiano de ser)
venho tentando isso a vinte anos...

 
ilusória e completamente' em vão...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

MUITO ME INTERESSA;


[...]

tudo o que não te diga respeito!

Dona do destino

BEM'
é estar com o mundo dentro do peito
com sorrisos despreocupados
e ares de qualquer dia, qualquer jeito.

BEM, muito bem'
é o que sinto
quando percebo que não preciso 
nem de você, nem do 'nada seu'
nem de nada que me faça menos eu.


BEM, bem demais
é o que sinto por existir em um mundo
onde o tempo é senhor das respostas
e eu a dona do meu destino!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

'Esta as Omissas, Cretinas e Divinas Pessoas'

...não por nada
mais hoje me poupe das desgraças
me poupe das injúrias
me poupe dos maldizeres
me poupe da enganações;
me poupe da pobreza de sentimentos
me poupe da inveja, da angustia
mau-humor, da mentira, da preguiça
das frustrações, lamentações...
me poupe da fraqueza, do orgulho
da dureza, do fracasso, do rancor
da inutilidade de conceitos


não por nada...

Fonte dos Desejos

'algumas vezes as palavras se fazem pequenas
meio a sentimentos, e lembranças, e prazeres
não que eu tenha, de forma alguma
guardado então a mim, as pequenas vivências
diga-se de passagem, curtas como este
apenas, sei que são
insubstituiveis, vista os momentos vividos...

algumas vezes, as palavras fogem em sobresalto
e denunciam a fonte dos desejos, a espreita de qualquer chance
de voltar no tempo, pra viver mais uma pequena vez
o que já virou lembrança...

não falo de amores, que fique claro
posto que aqui quase museu de saudade
falo pelos dias, pelas pessoas e abraços e saudades
digo com saudadosa, ora, enfática certeza de quem sentiu
que um dia durou um século
um abraço se fez enfinito pelo conforto
e uma vida soprou em um segundo breve...

algumas vezes, nada é preciso pra tanto
basta sentir em verdade, que a fonte da que vos falo
não passa do que a alguns é dito como coração...

e a ele, tudo e qualquer coisa...
faz TODO SENTIDO DO MUNDO'